1 de out de 2011

HTPC- 03/10/2011-até as 24h00 - Ensinar com as novas tecnologias

Mudar a forma de ensinar e de aprender com as novas tecnologias
O aluno não é unicamente nosso cliente que escolhe o que quer. É um cidadão em desenvolvimento. Há uma interação entre as expectativas dos alunos, as expectativas institucionais e sociais e as possibilidades concretas de cada professor. O professor procura facilitar a fluência, a boa organização e adaptação do curso a cada aluno, mas há limites que todos levarão em consideração. A personalidade do professor é decisiva para o bom êxito do ensino-aprendizagem. Muitos não sabem explorar todas as potencialidades da interação.
Não podemos dar aula da mesma forma para alunos diferentes, para grupos com diferentes motivações. Precisamos adaptar nossa metodologia, nossas técnicas de comunicação a cada grupo. Tem alunos que estão prontos para aprender o que temos a oferecer. É a situação ideal, onde é fácil obter a sua colaboração. Alunos mais maduros, que necessitam daquele curso ou que escolheram aquela matéria livremente facilitam nosso trabalho, nos estimulam, colaboram mais facilmente.

Outros alunos, no início do curso podem estar distantes, mas sabendo chegar até eles, mostrando-nos abertos, confiantes e motivadores, sensibilizando-os para o que eles vão aprender no nosso curso, respondem bem e se dispõem a participar. A partir daí torna-se fácil ensinar.
Existem outros que não estão prontos, que são imaturos ou estão distantes das nossas propostas. Procuraremos aproximá-las o máximo que pudermos deles, partindo do que eles valorizam, do que para eles é importante. Mas se, mesmo assim, a resposta é fria, poderemos apelar para algumas formas de impor tarefas, prazos, avaliações mais freqüentes, de forma madura, mostrando que é pelo bem deles e não como forma de vingança nossa. O professor pode impor sem ser autoritário, sem humilhar, colocando as tarefas de forma clara, calma e justificada. A imposição é um último recurso do professor, não primeiro e único. Sempre que for possível, avançaremos mais pela interação, pela colaboração, pela pesquisa compartilhada do que pela imposição.
José Manuel Moran
               www.eca.usp.br/prof/moran/uber.htm 
  
Gestão da sala de aula:   http://rosangelamentapde.pbworks.com/w/page/9127629/Gest%C3%A3o%20na%20sala%20de%20aula                                             
Reflexão:

Após a leitura dos artigos:

Fale da sua atuação como Gestor da sala de aula:

Boa leitura e Boa reflexão !

8 comentários:

  1. O professor tem um grande leque de opções metodológicas, de possibilidades de organizar sua comunicação com os alunos, de introduzir um tema, de como trabalhar com os mesmos e de avaliá-los.
    Cada professor pode encontrar sua forma mais adequada de integrar as várias tecnologias e procedimentos metodológicos. Mas também é importante que amplie e que aprenda a dominar as formas de comunicação interpessoal/grupal e as de comunicação audiovisual.
    Na minha área o processo de ensino/aprendizagem acontece quando conseguimos integrar dentro de uma visão inovadora todas as tecnologias: como as audiovisuais, as textuais, as orais, musicais, lúdicas e corporais.
    Não é como se dar receitas, porque as situações são muito diversificadas. É importante que cada docente encontre o que lhe ajuda mais a sentir-se bem, a comunicar-se bem, ensinar bem , ajudar os alunos a que aprendam melhor. É importante diversificar as formas de dar aula, de realizar atividades e de avaliar.

    ResponderExcluir
  2. Ser um bom gestor da sala de aula no atual contexto nada mais é do que, administrar conflitos, lidar com os diferentes não os desiguais. Hoje temos que ensinar o conteúdo, mas paralelo a isto ensinar valores, que são esquecidos pelas famílias. Saber lidar com conflitos de toda ordem como preconceitos e como já discutimos em um outro HTPC, a banalização do bullying. Para gerirmos a sala de aula e não cairmos nas armadilhas, deveremos estar atentos a tudo e muitas vezes falar a língua do aluno, mais acessível, mostrar que somos passíveis de erros, mas que aprendemos com os mesmos.
    Não é fácil esta gerência, mas eu tento descontrair os alunos as vezes com brincadeiras que, para alguns pode não ter nada a ver, mas eu acho que tem a ver sim. Isto faz com que o ambiente se torne mais leve e com isso consigo ensinar o conteúdo e fazer com que alguns que não se interessam passam a se interessar.O aprendizado é o nosso foco como professor, mas saber lidar com os conflitos é uma grande habilidade.

    ResponderExcluir
  3. Enquanto gestora de sala de aula procuro aproximar o estudo da língua portuguesa com o cotidiano do aluno. Quando conseguem compreender que a língua que usamos para nos comunicar com nossos pais, amigos, usar o facebook, msn, é a mesma que a estudada na escola, o aluno, já maduro, fica curioso por aprender mais, simplesmente, porque sabe que facilitará a sua vida. Porém, existem alunos que não compreendem bem nem a função da língua portuguesa e muito menos da escola, e do como o conhecimento, ou organização de informações, transmitidos por essa instituição poderá enriquecê-lo e ajudá-lo durante toda a sua vida. Nesse caso é necessário não só uma gestão de sala de aula eficaz, mas também um trabalho que envolva outros profissionais para fazê-los alcançar os objetivos propostos pela secretaria de educação e por nós professores: formar um cidadão participativo, autônomo e consciente de sua função na sociedade.

    ResponderExcluir
  4. Enquanto gestora em sala de aula atuo mais como mediadora entre os alunos e o conhecimento a ser adquirido, já que eles é que são os protagonistas na aquisição deste conhecimento.É claro que em cada sala, dependendo da turma e do interesse da mesma, duas aulas sobre um mesmo tema nunca são iguais uma a outra porque cada grupo é diferente. Quanto aos alunos desinteressados conto com a ajuda dos alunos que têm mais facilidade de entendimento e aprendizagem para auxiliarem os colegas. Cada momento é um momento e cada turma é única, por isso temos que ter habilidade para mudar a estratégia de ensino sempre que necessário.

    ResponderExcluir
  5. Laura
    Procuro trabalhar com os alunos, de forma bem diversificada , com pequenos grupos , rodas de conversas onde cada aluno possa expressar as suas idéias e opiniões .E assim poder compartilhar seus conhecimentos não apenas com a professor mas sim com os colegas .

    Acredito que assim , as aulas de Língua Portuguesa passam ser mais dinâmicas quando envolve um todo e não somente um grupo que em muitas vezes ficam isolados em seu lugares sem saberem ao certo que devem faze.Quando abrimos esse espaço as aulas se tornam produtivas ,e conseguimos sanar alguns conflitos que possam aparecer durante o período de aulas .

    Nós professores precisamos aprender a ligar com os diferentes tipos de conflitos com a mesma habilidade e competência que lecionamos a nossa matéria

    ResponderExcluir
  6. Luciene Lavezzo03/10/2011 22:22

    Como professor gestor esforço-me em contextualizar os conteúdos com as experiências dos alunos, e fornecendo mais conhecimentos, onde possam adquirir mais informações e saber interagir no contexto da vida usando seus conhecimentos e habilidades .


    Mas esta muito difícil gerenciar o aprendizado, pois há a falta de interesse dos alunos, que é fruto de uma família desfacelada e muitas vezes também de uma sociedade que não valoriza a educação .

    Mesmo assim uso maneiras variadas para mostrar que a educação é o princípio dos objetivos da vida.

    ResponderExcluir
  7. Luiza
    Procuro analisar , a cada etapa do processo individual, questões relativas as áreas do conhecimento, ao envolvimento do aluno com sua tarefa de aprender, às relações estabelecidas com o grupo, aos objetivos , conteúdos e atividades desenvolvidas.
    Estar atenta às concepções prévia do aluno e seu modo de expressar-se sobre ela para poder organizar questões e situações
    - problemas possíveis de involverem os alunos, acompanhar, cada aluno propondo tarefas são analisadas imediatamente, como exemplos : questionarios, exercicios, textos e trabalhos mais longos como relatórios , pesquisas e etc.

    ResponderExcluir
  8. Marisa Nóbrega08/10/2011 09:51

    Como professora, procuro incentivar os alunos a continuarem os seus caminhos de aprendizagem, buscando sempre novas fronteiras, mesmo que cada fronteira seja diferente para cada um. Muitos alunos, desanimam no meio do caminho, ou sentem que não são capazes de atingir os seus limites e expandir os seus conhecimentos. Neste caso, existe a barreira sócio-cultural, que dependendo da faixa etária, se torna intransponível se o professor não utilizar de sua capacidade de mediação e comunicação. Procura incentivar a todos os alunos, sempre, a expandir os seus conhecimentos e aqueles que sentem muitos receios, de perderam o medo e o desânimo para prosseguirem sempre.

    ResponderExcluir

Após a leitura dos textos ou assistirem ao vídeo deixe a sua reflexão: